COVID-19
Massagem Pressel

Que posso eu oferecer?

Sou a Rosário e tenho o privilégio de fazer parte da equipa Ephesus. O nosso caminho coloca-nos desafios a cada passo. Hoje, mais do que nunca paro e pergunto se quero dar passos conscientes, sustentáveis e socialmente solidários.

Antes da distância física ter surgido como uma imposição em prol da sobrevivência da nossa sociedade, fazia terapias corporais, massagem Pressel e Quirofonética, ambas fundamentadas nos conhecimentos do homem segundo a antroposofia.
Citando o Henrique, terapeuta antroposófico, fisioterapeuta e massagista Pressel, que tive a honra de conhecer no meu caminho. Dizia ele:
- Executar com amor o gesto certo e belo é o necessário para uma terapia corporal baseada na medicina antroposófica.
Pegando nestas palavras de sentido profundo, proponho que cada um no seu espaço encontre esse gesto de amor. O nosso espaço físico devia ser o lugar onde nos encontramos com a nossa verdade, o lugar de conforto onde o calor do coração tem toda a sua dimensão.
Durante as próximas semanas irei fazendo propostas para que cada pessoa possa escolher o momento e o lugar certo, para dedicar ao seu próprio corpo a veneração que ele merece e precisa, pois ele é o nosso templo sagrado.
Vamos começar pelos nossos pés, que cada dia, ano e vida se colocam na terra para nos suportarem neste caminho. A veneração com que cada um o fará e como, será uma escolha de liberdade.
Eu publicarei um pequeno vídeo que é uma partilha para inspirar a libertação do potencial que existe dentro de cada pessoa. Por detrás existem alguns fundamentos que sustentam este acto:

  • escolher um local na casa que seja confortável onde nos possamos sentir íntegros e relaxados.
  • o momento, existem os ritmos universais, mas também os individuais. Assim o momento que escolhermos deve ser pensado, para ter o melhor impacto em nós. Deverá ser o melhor de acordo com a nossa disponibilidade interior e exterior.
  • o ambiente exterior, deve ser o mais sintonizado com a estética da nossa própria alma. Ex.: se gostamos de velas, flores, pedras, uma simples parede lisa, etc. Não existe um modelo certo ou errado. O modelo certo é o nosso próprio modelo.
  • Numa bacia suficientemente grande para dois pés, colocamos água tépida ou um pouco mais quente dependente da hora do dia e do efeito pretendido. Podemos movimentar um pouco a água com gestos suaves para que a água fique dinamizada (mais viva), se a nossa água viesse directamente de uma ribeira talvez este gesto fosse dispensável.
  • Se em casa tivermos óleos essenciais podemos escolher um e colocar umas gotas, para potenciarmos a actuação da própria água com o efeito terapêutico da essência. É importante misturar primeiro o óleo com leite, agitar vigorosamente para que se faça uma emulsão óleo-leite. Assim a emulsão irá dissolver-se mais facilmente na água e o óleo actuará melhor sobre a pele. Algumas sugestões: Alfazema (calmante), Alecrim (revigorante), Pinheiro (respiração calmante), Limão (refrescante). Caso não tenhamos óleos, podemos também usar algumas cascas de citrinos ou o tão universal SAL, ou algo que cada um tenha conhecimento.
  • No vídeo que partilho, coloquei 10 gotas de óleo essencial de alfazema em 100ml de leite. Se for óleo de massagem de alfazema misturar uma colher de sopa de óleo com os 100ml de leite.
  • Após estas preparações e cuidados, podemos colocar os nossos pés dentro de água. Devemos estar confortavelmente sentados, podemos usar um saco de água quente no colo e uma mantinha quente para nos cobrir também os joelhos. Lembrar de trazer uma toalha para junto de nós assim como umas meias, pantufas ou chinelos para calçar quando terminarmos. Este banho poderá ter uma duração de 10 a 30 minutos aqui uma vez mais de acordo com o nosso próprio temperamento.
  • Quando colocarem os pés tentem sentir a água como um elemento novo, abertos ao descobrimento. Activar a percepção que nos é possibilitada pelo conjunto dos nossos sentidos e em particular o sentido do tacto.
  • O calor da água, do saco de água quente e a mantinha, são um importante veículo de trazer e activar as nossas próprias respostas terapêuticas.
  • Introduzir movimentos dos dedos dos pés, usem a imaginação e criatividade
  • Se sentirem vontade, após terem usado apenas os movimentos dos próprios pés, podem também explorar com as mãos.
  • Neste processo criámos uma dinâmica crescente. Partimos do movimento interior até ao movimento exterior mais activo, uma vez atingido este climax, regressamos calmamente à serenidade e quietude do movimento exterior. Retendo em nós, a resposta interna que se produz no corpo e na alma.
  • Para completar este banho de pés, após secar os pés podemos aplicar um óleo ou um creme hidratante massajando um pouco mais. É facultativo porque na água já colocamos a emulsão que penetrou na pele.

Para muitos de vós, talvez não tenha sido nada de novo, mas desejo que tenha sido uma boa e inspiradora viagem a si próprio. Este foi um primeiro vídeo, seguir-se-ão outros. Visitem-nos, vamos tentar ser criativos e activos. Sintam-se livres para enviarem todas as questões e partilhas. O vosso retorno é importante para nós.


Rosário Simões
pressel@ephesus.pt
Tel: 917 946 545