COVID-19
Terapia de Rotações

Um recurso precioso no alívio das tensões

A Terapia de Rotações faz parte de um recurso terapêutico adotado pela nossa equipa.

Desde que a Dr.ª Bartel, sua fundadora, veio para um curso de formação em Portugal a convite do Dr. Mauro Menuzzi, que temos realizado vários cursos de formação e informação sobre os benefícios desta terapia.

Ela enquadra-se principalmente no âmbito do desenvolvimento da criança no que se refere à persistência dos reflexos congénitos e suas consequências para o desenvolvimento e para a aprendizagem. No entanto, várias são as situações em que podemos aplicar os exercícios de rotações, sejam em situações pontuais como crónicas, sendo benéfica também em adultos.

Iremos explicar um exercício simples que faz parte da Terapia de Rotações. Toda a fundamentação, fisiologia e mecanismos de atuação são parte integrante do curso que se realiza pontualmente pela AMA.


Exercício de rotação da coluna

Pois bem, muitos de nós passamos agora muito mais tempo em frente ao ecrã, seja porque estamos em teletrabalho ou estamos a organizar as nossas vidas profissionais. Já muito temos que nos lamentar pela situação tensa e caótica que a pandemia nos provoca, e adicionamos a isso, inevitavelmente, posturas que acrescentam ainda mais tensão.

O nosso objetivo, com esta pequena oferenda, é proporcionar às pessoas uma vivência terapêutica eficaz, sem terem de recorrer a medicamentos ou terapias dispendiosas.

Como o próprio nome diz, as rotações proporcionam uma vivência cruzada corporal onde os músculos irão estar numa situação harmónica entre contração e relaxamento.

A nossa perceção cerebral irá registar esta situação harmónica como reparadora, para áreas do corpo que estejam em desarmonia. O exercício deve ser acompanhado da respiração profunda e de uma atenção mais voltada para a perceção do corpo. Como está ele? Em que posição está?

O principal princípio que deve orientar a execução do exercício é NÃO PERMANECER NUMA POSTURA QUE PROVOCA DOR. Devemos sempre ajudar o corpo a adquirir a postura com o uso de pequenas almofadas, tendo respeito pelos nossos próprios limites de flexibilidade e atuação.

Outro princípio importante é seguir os passos indicados na execução da postura e não inverter as sequências.

Vamos lá!

1º .Deitar-se de costas numa superfície horizontal, de preferência não muito rígida. Basta usar um colchão de campismo, ou caso não tenha, um tapete mais espesso. Fechar os olhos.

2ª. Manter as costas bem alinhadas no solo, mãos colocadas atrás da cabeça e respirar profundamente 7 vezes. Perceber como está o seu corpo, fazendo uma visão interiorizada da cabeça aos pés e dos pés até a cabeça. Registe mentalmente as perceções corporais (posição dos membros, bem-estar, estiramentos, tensões…).

3º. Virar a cabeça para o lado esquerdo, sem tensionar o pescoço. Dobrar a perna direita, mantendo os pés sobre o solo. Dobrar a perna esquerda e mantê-la junto da direita.

4º. Dobrar as duas pernas contra o abdómem.

5º. Girar as duas pernas conjuntamente para o lado direito do corpo até (se conseguir) encostar com os joelhos no solo. Aqui muitos de nós irão precisar da ajuda de almofadas. Se não conseguem chegar ao solo com os joelhos não é para forçar. Não realizar a rotação com a força do pescoço e sim com a força das pernas e abdómem.

6º. Manter esta posição cruzada corporal e respirar profundamente dando mais ênfase na expiração. Perceber como está o seu corpo, fazendo uma visão interiorizada da cabeça aos pés e dos pés até a cabeça.

7º. Voltar com as pernas juntas, unidas pelo joelho, para cima do abdómem. Pousar o pé esquerdo no solo. Pousar o pé direito no solo. Esticar ambas as pernas e relaxar os pés.

8º. Voltar com a cabeça para o meio. Manter as mãos abaixo da nuca. Respirar e Perceber como está o seu corpo, fazendo uma visão interiorizada da cabeça aos pés e dos pés até a cabeça.

9º. Virar a cabeça para o lado direito, sem tencionar o pescoço.

Repetir toda a sequência nesta nova posição da cabeça. Agora tudo na sequência invertida.

10º. Terminar como na 1ª posição. Perceber como está o seu corpo, fazendo uma visão interiorizada da cabeça aos pés e dos pés até a cabeça.


Virar-se para um dos lados, apoiar as mãos, erguer o tronco, dobrar as pernas, sentar-se de lado. Erguer-se bem devagar.

Pronto, faça isso de novo no dia seguinte. Ou se sentir-se tenso nas costas, no pescoço, na lombar, pode fazer o exercício quantas vezes quiser.

Desejamos a todos um excelente momento de concentração em si próprios, a valorizar e a cuidar do seu corpo, como instrumento divino para executar todas as capacidades volitivas, sentimentais e mentais que possuímos.


Dr. Mauro Menuzzi
medicina@ephesus.pt
Tel: 912 456 818